Compartilhar

Acordamos nessa última quarta-feira com uma série de tweets do Ministério da Cultura da Argentina, falando sobre o cantor e co-criador da Laboratório Fantasma, ao lado do Emicida, Evandro Fióti.

Como você viu nas nossas redes-sociais, a LAB deu um pulo ali em Córdoba, Argentina, pro Youth 20, encontro realizado pelo G20 (um fórum internacional formado pelos ministros de finanças e chefes dos bancos centrais das 19 maiores economias do mundo mais a União Europeia, a fim de evitar crises econômicas nesses países). O Youth 20 é focado no, como você já deduziu, jovem. Como jovens ao redor do mundo estão se movimentando e gerando novos caminhos dentro do empreendedorismo e como isso se traduz em avanços sócio-econômicos para suas nações.

O Emicida foi lá tocar para uma parte do público – aqui a gente faz música também, não se esqueça, em primeiro lugar! -, enquanto o nosso CEO Evandro Fióti foi participar dum bate-papo com a cientista e inventora canadense Ann Makosinski, uma jovem de 20 anos nascida em Vancouver. A roda de ideias chamava-se “Como se nascem as boas ideias”. Fióti falou um pouco da experiência:

“Conseguimos criar um diálogo que passou por diversos pontos: discriminação, processo criativo, complexidades de dar vazão a boas ideias em economias de países desenvolvidos como o Canadá e em países subdesenvolvidos, que é onde nos encontramos.”

Fióti estava lá representando a LAB, sim, mas principalmente o empreendedorismo jovem brasileiro, com toda sua gama de aspectos difíceis de traduzir pro mundo, o que acabou sendo parte da missão do Fióti em Córdoba. “Uma oportunidade especial de compartilhar um pouco do universo e as complexidades que a juventude empreendedora acaba tendo no Brasil.” – disse Fióti.

“Pude levar nossa experiência com empreendedorismo dentro do mercado de Hip Hop brasileiro para mais de 80 jovens das maiores economias do Globo. Foi muito importante para a LAB, pro rap brasileiro e também para nosso país.”

E o saldo do bate-volta foi mesmo positivo para Fióti: “Acabamos injetando ânimo em jovens de outras partes do Globo para que invistam, acreditem e façam seus sonhos se tornarem realidade, superando os diversos obstáculos que tiverem pela frente.”

Sobre falar para um público internacional, que não era familiarizado com a Laboratório, foi um ponto interessante na hora de dialogar: “O público presente não conhecia a história da LAB, mas conheciam o Brasil, então pude mostrar a complexidade de ser um jovem empreendedor oriundo da periferia de São Paulo. Todos tiveram uma boa recepção, interação e agradeceram por compartilharmos nossa história e trajetória. Foi um momento bem especial, emocionante, eu realizei um sonho. Não imaginei chegar tão longe, poder compartilhar nossa história no Youth 20 do G20 foi um marco na nossa trajetória, sem dúvidas.”

A procura por Fióti para palestras e mesas de bate-papo têm aumentado por parte da curadoria de eventos culturais e de empreendedorismo. Perguntado sobre o crescente interesse do mercado em ouvi-lo e sobre por que há tanto interesse em entender o “segredo da LAB”, Fióti sabe o motivo: “Pela inovação que provocamos no Mercado, nos tornando pioneiros e únicos. São poucas empresas de jovens negros oriundos da periferia que conseguem chegar tão longe como chegamos.”

Ronald Rios

 

Compartilhar